Café e Saúde

Café e Saúde

Café e saúde: um dos assuntos mais pesquisados

A relação entre o consumo de café e a saúde humana é um tema muito pesquisado no mundo científico.

Há sempre muita discussão sobre o tema Café e Saúde e, obviamente, muita informação boa e ruim.

Felizmente, para nós #coffeelovers, as pesquisas têm demonstrado que o café é um aliado à saúde das pessoas.

O hábito de tomar um cafezinho ou algumas xícaras durante o dia é mais benéfico do que podemos imaginar.

Mas sempre haverá aqueles prontos para denegrir a bebida. Teorias indicam que pode até ser uma forma de desvalorizar a bebida.

Seria uma artimanha da concorrência?

O fato é o café é a segunda bebida mais consumida no mundo e é considerada uma substância nutracêutica.

Esse termo pode parecer esquisito em um primeiro momento, mas descreve muito bem a bebida produzida a partir dos grãos de café.

O termo nutracêutica é a junção das palavras nutricional e farmacêutica, duas grandes características do grão de café.

Para exemplificar, pesquisas indicam que o café possui mais minerais que algumas bebidas consideradas isotônicas.

Então, vamos saber qual é a relação do café com a saúde?

Para nos ajudar, selecionamos alguns vídeos de profissionais da saúde que irão complementar explicando os benefícios e os malefícios.

Ah, mas o café tem cafeína que pode fazer mal ou até viciar.

Sim, é verdade que o café tem cafeína assim como diversas outras bebidas, como o chá, por exemplo.

Mas a cafeína em doses corretas é segura e também traz benefícios.

Vamos falar sobre isso mais para frente

O café na disputa entre Árabes x Cristãos

No livro, Café e Saúde, produzido e publicado pela Embrapa (clique no link para poder baixar), encontramos uma curiosidade bem interessante.

Os árabes já indicavam o uso do café como tratamento para várias enfermidades, entre elas a apatia sexual.

Aliás, o café era uma bebida muito utilizada pelos árabes em período de guerra para ajudar os combatentes a ficarem mais ativos.

E esse era um dos motivos que os cristãos a evitavam. Consideravam o café como uma substância pagã e pecaminosa.

Essa visão só mudou quando o Papa Clemente VIII (1592 – 1605) viu o potencial da bebida como estimulante para mantê-lo acordado durante as orações.

Ah, segundo os historiadores, ele também ficou ‘fanzaço’ da bebida. 

Provou, gostou e aprovou.

Inclusive, passou a indicar o seu uso entre todos os cristãos. 

Fica fácil imaginar que o consumo da bebida cresceu de forma vertiginosa depois que o ‘influencer’ daquela época consentiu o uso do café entre os súditos, não é mesmo?

Mas o que essa história toda tem a ver com o tema Café e Saúde?

Tudo!

É importante conhecer quando as ‘tretas’ com o café começaram.

Ajuda a entender que o preconceito com a bebida café vem de longa data e muitas vezes sem fundamentos científicos.

Mas quais os malefícios do café?

O café já foi acusado de causar transtornos psicotrópicos, dependência, além de problemas no coração, entre outros males.

Na maioria das vezes, a argumentação de quem fala mal sobre o café pauta-se somente na questão da cafeína.

Mas, como vimos, em doses corretas, faz muito bem para o nosso cérebro.

E, apesar dos pesares, o consumo do café só aumentou desde o seu descobrimento até os dias de hoje.

Já foi o principal produto de nossa agricultura e ainda ocupa um importante papel no agronegócio brasileiro.

Café e Saúde
Café e Saúde

E por que a cafeína é considerada a vilã número 1?

Talvez porque foi a primeira substância identificada no café.

Aí, já viu, né?

Ela leva a culpa por quase tudo.

A cafeína foi descoberta pelo cientista alemão Ferdinand Runge em 1820.

E, após a sua descoberta, passou a ser o foco dos estudos, inclusive para fins medicinais.

Ao longo dos anos, a cafeína foi considerada uma substância causadora de dependência devido a sua forte influência em algumas atividades cerebrais.

Com o foco dos estudos em cima da cafeína, as outras substâncias presentes no café não foram identificadas e, obviamente, não foram estudadas.

Consequentemente, o café ficou associado à cafeína.

E, no começo, havia mais suposições sobre os malefícios da cafeína, do que comprovações dos benefícios do café.

Aí, já viu, né?

O café passou a ser vilão.

Desmistificando a relação café e doenças

Toda essa controvérsia em torno do café só instigou ainda mais os estudos dos efeitos dessa bebida sobre a saúde humana.

E, à medida que os estudos avançaram, foi ficando cada vez mais evidente que o café não tem relação com as doenças que lhe foram atribuídas.

Acreditava-se que o consumo de café poderia causar doença coronariana, provocar arritmias cardíacas e alterar a hipertensão arterial.

Outro ponto desmistificado é a correlação do consumo do café com a ocorrência de câncer.

As pesquisas mostraram que não há associação da cafeína com esse tipo de doença.

Ah, o consumo de café também não está relacionado ao desenvolvimento de doenças gástricas ou intestinais.

Neste caso, existem recomendações para pacientes que sofrem de úlceras ou gastrite para que reduzam o consumo de café.

Essa é orientação é importante uma vez que a bebida estimula a secreção ácida e a produção de pepsina no estômago, o que pode causar desconforto em que já tem gastrite ou úlcera.

Essas são somente algumas das doenças que eram associadas ao consumo do café.

Felizmente, as pesquisas estão derrubando todos esses mitos.

Aliás, além de derrubar essas falsas informações, os estudos estão levantando e fortalecendo o que muitos já defendiam.

Cada vez mais fica comprovado que o café traz muitos benefícios à saúde humana.

Café e a saúde do organismo
Café e a saúde do organismo

Efeitos do café no organismo

O café é composto por diversas substâncias que trazem benefícios ao corpo humano.

Mas a cafeína é a que mais recebe atenção nos estudos que são realizados sobre os efeitos do café no organismo.

Mas, não é sem motivo que ela ganha toda essa atenção.

A cafeína é um poderoso estimulante, ou seja, ela atua fortemente no sistema nervoso central.

Por exemplo, ela bloqueia o neurotransmissor do sono chamado adenosina.

Daí a fama do café de funcionar como um despertador.

Na quantidade correta, sem exagerar, a cafeína ajuda a reduzir o estado de sonolência, a combater a fadiga e o cansaço.

A cafeína também aumenta o poder de atenção e concentração, o que favorece a atividade intelectual das pessoas.

Por que não pode tomar café durante a noite?

Exatamente por agir no neurotransmissor do sono, a adenosina, diminuindo o estado de sonolência, é que não se sugere tomar café à noite.

Outro erro comum que as pessoas cometem é tomar café à noite para ajudar nos estudos.

Isso é um erro porque o sono é uma etapa crucial para o descanso do corpo e da mente.

E o excesso de café com certeza irá atrapalhar o seu sono e você não descansará bem.

Como consequência, o dia posterior poderá ficar prejudicado pelo cansaço em decorrência de uma noite mal dormida.

Mas qual seria a dose correta de cafeína ou de café por dia?

A dose correta de café por dia é de três a quatro xícaras, o que fornece ao seu corpo cerca de 500 mg/dia de cafeína.

Nessa dosagem, a cafeína atua de forma segura estimulando a atenção, a concentração e a memória.

E vale uma ressalva.

Essa quantidade de café e cafeína deve ser distribuída ao longo do dia.

Não é porque existe uma quantidade recomendada que se pode tomar toda ela de uma vez.

No livro Café e Saúde, sugere-se que esse consumo deve ter um intervalo mínimo de duas horas entre uma xícara e outra.

Quanto tempo a cafeína fica presente em nosso corpo?

Estudos sugerem que a cafeína e os seus efeitos permaneçam em nosso corpo por cerca de três a seis horas.

Esse dado é importante.

Se você exagerar no café durante o dia, os efeitos da cafeína serão sentidos durante todo o dia. 

E quanto mais perto do período noturno você exagerar no café, piores as consequências para o seu sono.

Mas, perceba que os efeitos da cafeína só são prejudiciais quando há excesso.

Aliás, isso vale para qualquer coisa: tudo em excesso pode causar prejuízo ao corpo humano.

Quais são os piores efeitos do café no corpo humano?

Os efeitos do café em grandes quantidades no corpo humano podem variar de pessoa para pessoa.

Há pessoas que são mais tolerantes à cafeína, há aquelas que absorvem mais, entre outros aspectos que vão interferir no efeito do café no corpo.

Basicamente, quando consumido em grandes quantidades, o café, por meio do excesso de cafeína, provocará ansiedade, insônia, irritabilidade e náuseas, por exemplo.

E quais são os benefícios do café para o corpo humano?

Alguns dos benefícios do café já foram apresentados como ação estimulante, aumento da concentração e da atividade intelectual.

Outros benefícios conhecidos do café são a ação analgésica e a inibidora de apetite.

Alguns praticantes de esporte costumam beber café antes da atividade esportiva como forma de aumentar a energia no corpo e também porque o café atua acelerando o metabolismo.

Talvez você já tenha ouvido falar na bebida Bulletproof Coffe, criada especificamente para acelerar o metabolismo e consequentemente aumentar a queima da gordura.

Vídeo Benefícios do Café: alertas e cuidados

Substâncias presentes no café

Mas, afinal, o que há no café que causa tantos benefícios ao corpo humano?

Essa é uma pergunta que foi muito perseguida pelos cientistas e estudiosos do café.

E à medida que os estudos foram avançando, os pesquisadores começaram a descobrir diversas substâncias benéficas no café.

Aliás, o grão de café é considerado atualmente como um alimento completo.

Veja abaixo as principais substâncias presentes no café:

Rico em sais minerais (3% a 5%): potássio, magnésio, cálcio, sódio, ferro, manganês, rubídio, zinco, cobre, estrôncio, cromo, vanádio, bário, níquel, cobalto, chumbo, molibdênio, titânio e cádmio

  • Lipídios (10% a 20%)
  • Açúcares (35% a 55%) 
  • Aminoácidos (2%)
  • Substâncias importantes como fontes de energia
  • ácidos clorogênicos (7% a 9%) 
  • Niacina ou vitamina PP 
  • Vitamina do complexo B (0,5%)

Substâncias da bebida café

Quando preparamos o café, praticamente todas essas substâncias são transferidas para a bebida.

Portanto, a bebida café é composta de elementos que fazem bem para a saúde humana.

Essas quantidades poderão variar de método para método e até em consequência do tipo de torra.

Mas em todos os métodos você encontrará os ácidos clorogênicos, sais minerais, niacinas, cafeína e compostos voláteis que são responsáveis pelo aroma e sabor.

A torra e a qualidade nutricional do café

A torra é uma importante etapa do beneficiamento do café.

Uma torra mal feita pode estragar o café e eliminar todas as substâncias boas presentes no grão.

Por isso, deve-se evitar cafés com alta torrefação. 

Além de eliminar as substâncias boas, a torrefação muito forte também esconde os defeitos do café, que em geral, nessas condições são de baixa qualidade.

O ideal é que a torra apresente uma coloração entre marrom e chocolate, podendo ser clara ou escura, mas não parecida com um carvão.

Interessante informar que a cafeína não é eliminada em torras muito escuras. 

Outro dado importante relacionado à torra.

É no processo de torrefação que são formados os ácidos clorogênicos que atuam como antioxidantes naturais, e forma diversas outras substâncias como os quinídeos.

Os quinídeos atuam de forma benéfica no humor e na prevenção de depressão e na redução do risco de infarto.

Os ácidos clorogênicos originam ainda outras substâncias essenciais para a saúde humana como ácido cafeoilquínico (CQA), ácido dicafeoilquínico (diCQA), ácido feruloilquínico (FQA), ácido coumaroilquínico (CoQA) e ácido cafeoferuloilquínico (CFQA). 

E adivinha qual é o alimento que possui a maior fonte de ácidos clorogênicos?

Exatamente.

O café com uma torra especial que consegue extrair todas as boas substâncias presentes no grão.

Compartilhe

Veja mais no site Café que Marca

Receitas

Notícias

Marcas de Café

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.