HISTÓRIA DOS CULTIVARES DE CAFÉ BRASILEIROS

Exemplar de um cultivar de café
Exemplar de um cultivar de café

Conheça a história dos primeiros cultivares de café brasileiros

A história nos conta que o café chegou ao Brasil pelas mãos do sargento-mor Francisco de Melo Palheta em 1727 que, aparentemente, usou o seu charme para conseguir as preciosas sementes de café. Acredito que nem mesmo o sargento imaginaria que aqueles grãos dariam origem a um produto de extrema força econômica para o país.

Essas sementes trazidas por Francisco chegaram inicialmente em Belém (PA), iniciando oficialmente a produção dos cultivares de café no Brasil. Depois, foi levado para o Maranhão e em seguida para o Rio de Janeiro, onde se difundiu rapidamente e foi por muito tempo a cultura principal. O café alcançou depois São Paulo, Minas Gerais e Paraná. Abaixo, resumimos o caminho do café após a sua chegada ao país.

Rota dos primeiros cultivares de café no Brasil. As primeiras mudas chegaram primeiramente pelo Pará e se expandiram pelo país.
Rota dos primeiros cultivares de café no Brasil. As primeiras mudas chegaram primeiramente pelo Pará e se expandiram pelo país

Cultivar de café Típica

A primeira cultivar de café a desembarcar no Brasil pelas mãos do sargento-mor foi a Típica, nome científico Coffea arabica L. var. typica, sendo também conhecida no país como Café Comum, Nacional, Brasil, Crioulo e Sumatra. Uma curiosidade é que considera-se que a cultivar de café Típica foi a única produzida no Brasil até o meio do século XIX.

Das mutações ocorridas na variedade Típica surgiram outras duas cultivares: Amarelo de Botucatu e Maragogipe. A primeira é considerada a primeira mutação da cultivar Típica, tendo sido encontrada em 1871 na cidade paulista de Botucatu, recebendo os nomes de Café Amarelo e Café de Botucatu. Já a segunda foi encontrada em Maragogipe (BA) no ano de 1870. Essa cultivar, mais forte e mais produtiva que a planta de que se originou, se espalhou por outras regiões do Brasil.

Cultivar de café Bourbon Vermelho

Em 1859, o governo brasileiro introduziu no estado de São Paulo a cultivar de café Bourbon Vermelho, nome científico Coffea arabica L. var. bourbon, proveniente da ilha Reunião, que apresentava alta produtividade. O café já era um importante produto da economia brasileira e a ideia de trazer esse cultivar era exatamente aumentar a produção do café no Brasil.

Cultivar de café Bourbon Amarelo

A cultivar de café Bourbon Amarelo, nome científico Coffearabica L. var. forma, xanthocarpa, foi encontrada primeiramente no município paulista de Pederneiras, em 1930. De origem incerta, a hipótese mais aceita é que tenha surgido do cruzamento entre as cultivares Bourbon Vermelho e Amarelo Botucatu. Essa cultivar tinha produção superior ao Bourbon Vermelho.

Cultivar de café Sumatra

Provenientes da Ilha de Sumatra, essa cultivar chegou ao Brasil em 1896. Pelas semelhanças físicas, acredita-se que a Sumatra seja uma linhagem da Típica, porém, com porte e produção mais altos.

Cultivar de café Caturra Vermelho

Nome científico Coffea arabica L. var. caturra, é uma mutação da Bourbon Vermelho. Foi identificada inicialmente na Serra do Caparaó, divisa entre Minas Gerais (MG) e Espírito Santo (ES). Possui alta produtividade.

Outras cultivares de café

Neste texto, contamos um pouco sobre a história dos primeiros cultivares de café brasileiros e a sua evolução de forma natural. Mas é importante destacar que muitos cultivares presentes no país foram resultados de um árduo trabalho de toda a cadeia produtiva, principalmente, de órgãos como o Instituto Agronômico, Embrapa, entre outros.

Novos cultivares de café foram produzidos a partir do cruzamento das cultivares já existentes, buscando sempre desenvolver plantas que apresentem as seguintes características[1]:

  • Mais produtividade
  • Seja vigorosas
  • Apresentem produtos de boa qualidade.
  • Resistência às doenças e pragas,
  • Tamanho da planta
  • Uniformidade de maturação de frutos
  • Quantidade dos componentes químicos das sementes, como a cafeína, trigonelina, ácidos clorogênicos, açúcares e sólidos solúveis.

Em outros textos, já vimos que sementes de café que apresentam grande quantidade de sólidos solúveis e cafeína são muito importantes para as indústrias de café solúvel, farmacêuticas e alimentícias.

Leia mais sobre o café:

Sobre o Café

O que é um cultivar de café

Fruto do café

Sementes do café

Fonte:


[1] Livro Cultivares do Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.